“A tua empresa estava desejosa de te descartar”

Paulo Dentinho, jornalista e primo de Pedro Lima, escreveu uma carta aberta este domingo, um dia após a morte do ator.

Pedro, hoje finalmente consigo falar contigo. Ontem não dava, estava demasiado ocupado a apanhar os cacos da devastação da tua tão súbita ausência”. Foram estas as palavras que introduziram a carta aberta escrita por Paulo Dentinho, jornalista e primo de Pedro Lima, publicada este domingo, um dia após a morte do ator.

O antigo diretor de informação da RTP mostrou-se profundamente abalado com a perda e homenageou o primo com um longo texto no qual começou por falar da relação de amor que os unia desde a infância.

“Deste-me tantas vezes a mão, companheiro. A mim e a muitos outros e outras. Na nossa família eras o pilar, és o pilar onde nos erguemos. Em cada Natal queres todos lá em casa. ‘Fazes o peru, Paulinho?’. Sim, faço. E trocamos prendas e dizemos poemas. Ao teu lado vamo-nos construindo em família”, escreveu.

Mas não ficou por aqui. Paulo Dentinho não deixou de falar do estado emocional de Pedro Lima, que carecia de atenção e lançou farpas à “empresa” do ator, que afirma que pretendia “descartá-lo”.

“A tua força era também a tua fragilidade. E estavas frágil e muitos de nós não vimos. O Lourenço Lucena, que é um desses tantos teus amigos que ficaram destroçados, diz aquilo que muitos sabemos, que a tua empresa estava desejosa de te descartar. Devias tê-los mandado a todos para o sítio mais ordinário que existe no planeta. É nesta altura que entras em cena – conheço-te tão bem! – e é para os defenderes, para dizeres que não é bem assim, que até os compreendes e para me alertares para os meus estados de alma, porque ‘já te lixaram por causa disso, e tu sabes bem'”, afirmou, referindo-se à TVI, casa para a qual Pedro Lima trabalhou nos últimos 20 anos.

E continuou: “Mas não, hoje não é sobre mim, é sobre ti, Pedro! E pergunto-te então quantas vezes lhes telefonaste nestes últimos dias sem que ninguém atendesse? Sabes, depois escrevem coisas maravilhosas sobre seres um dos actores mais versáteis da tua geração. E falam em pesar e mais uma série de palavras de plástico”.

Estas palavras parecem citar aquele que foi o comunicado de Nuno Santos, diretor de programas da TVI, em homenagem a Pedro Lima: “O Pedro Lima partiu. Uma partida inesperada e brutal. É um dia chocante que abre uma tormenta de emoções e deixa um pesar enorme entre todos. Todos, sem exceção. O Pedro era um dos mais versáteis atores da sua geração”.

Paulo Dentinho terminou o texto lamentando que também o próprio não tenha conseguido evitar que o ator tenha posto termo à vida.

“Sim, sim, já sei, queres que me cale. Queres que não diga que usam as pessoas como copos de plástico não reciclado. Mas descansa, não é só na tua empresa. Está bem, eu calo-me. Porque também tenho contas a acertar comigo, porque também eu não consegui agarrar-te. E tu, tu também não deixaste que te agarrassem! Não ouviste os teus amigos e a tua família a dizer que tudo se resolve? Mas estavas demasiado fechado em exigir de ti, em te responsabilizares e a sentires em crescendo que estavas a falhar. Deixaste-te envolver em pensamentos sombrios e fomos todos derrotados”.

Pedro Lima foi encontrado sem vida este sábado, dia 20, pelas 10h20, na praia do Abano, em Cascais. Tinha 49 anos. Despediu-se da família com uma carta.