Jovem é barriga de aluguer da própria mãe

Mulher não conseguia engravidar, então filha, de 21 anos, ofereceu-se para gerar o próprio irmão.

Por todo todo o mundo, já vimos casos de mulheres que emprestam a barriga para gerar o filho de uma irmã que não pode ter filhos. Já vimos também mães a fazerem o mesmo por filhas. Mas o caso de Andreia Carrasco, de 43 anos, e de Jessica Siebra, de 21 anos, que vivem em São Paulo, no Brasil, é bastante mais raro.

É que Jessica está a gerar o próprio irmão porque a mãe, Andreia, não pode ter mais filhos.

Conta a revista brasileira Crescer, que a filha não hesitou em ser barriga de aluguer da mãe, quando soube que esta não poderia gerar mais um filho, tal como desejava há muitos anos.

“Sempre sonhei ter uma família grande. Casei-me, tive a Jessica e sempre quis ter mais um filho. Quando tentei engravidar novamente, aos 32 anos, depois de fazer vários exames, descobri que tinha menopausa precoce e que não poderia ter mais filhos. O meu mundo desabou naquele momento”, contou Andreia à publicação.

Mas a brasileira não desistiu. Procurou vários médicos especialistas em reprodução humana. Um dos médicos sugeriu que ela fizesse fertilização in vitro, com óvulos doados. Mas o marido, pai de Jessica, não quis.

Vários anos depois, separaram-se e Andreia conheceu o atual marido, Rogério Carrasco, 46 anos, que também tinha o sonho de ser pai.

Andreia fez vários tratamentos, mas nenhum resultou. Até que, Jessica, que acompanhou todo o processo e sabia do sonho da mãe, ofereceu-se para ser barriga de aluguer.

Apesar de parecer estranho e de já terem sido muito criticados. Andreia garante que para a família é “super normal”.

“Ela [Jessica] está consciente do que está a fazer. Este procedimento foi muito bem conversado entre nós. Neste momento a Jessica não pensa em ter filhos. Talvez num futuro, bem distante. Primeiro quer terminar a faculdade, fazer pós-graduação e viajar para fora do país”, revela.

A jovem está agora grávida de 11 semanas de um menino. O bebé vai nascer em agosto. “Agradeço todos os dias a Deus por me ter dado uma filha tão maravilhosa”, afirma Andreia.