Bombeiro que matou amante cortou-se para disfarçar golpes

O bombeiro de 26 anos que matou a amante, Marina Fernandes, de 25, em Moimenta da Beira, tentou eliminar todas as pistas que pudessem apontar na sua direção.

Para esconder a origem do corte na mão que sofreu por causa da resistência da vítima, enquanto a golpeava com uma faca, partiu um espelho a murro no quartel e recorreu ao serviço de urgência.

Antes disso, pegou no telemóvel da amante, com quem tinha trocado várias mensagens, e deitou-o para o lixo.