Bombeiros procuram homem desaparecido em fogo num prédio no Porto

Uma pessoa está dada como desaparecida na sequência de um incêndio que provocou o desabamento da cobertura de um prédio na Baixa do Porto. PJ investiga.

A Polícia Judiciária está no local a investigar. Segundo o comandante dos Sapadores do Porto, Carlos Marques, este foi o segundo incêndio no mesmo prédio, em poucos dias. “Na semana passada houve um incêndio neste mesmo prédio, mas noutro piso”, disse, não se alongando sobre as origens do sinistro.

“Compete às autoridades investigar as causas. Já está cá uma equipa da Polícia Judiciária”, disse Carlos Marques. O incêndio, que deflagrou durante a madrugada deste sábado, provocou o desabamento da cobertura do prédio, na rua de Alexandre Braga, n.º100, no centro do Porto, junto a uma das saídas da estação de metro do Bolhão, em frente a uma das entradas daquele mercado.

Segundo informações do Comando Distrital de Operações e Socorro do Porto, estão a ser feitas buscas no local para localizar uma pessoa dada como desaparecida.

Uma informação confirmada, numa comunicação aos jornalistas, às 10 horas, pelo comandante dos Sapadores do Porto. “Segundo informações de familiares, está uma pessoa lá dentro”, disse Carlos Marques.

“Estamos a tirar todo o entulho para ver se se confirma mais uma vítima”, acrescentou Carlos Marques, fazendo um resumo do que se passou. “À chegada ao local, encontrámos a cobertura do prédio tomada pelas chamas e conseguimos tirar as três vítimas. O incêndio foi extinto rapidamente e agora prosseguem as buscas”, disse.

Segundo Carlos Marques, já depois do fogo extinto ocorreu uma explosão, que provocou a derrocada da cobertura do prédio e do terceiro andar.

O desaparecido é um homem, de 55 anos, que vivia no terceiro e último andar do prédio, juntamente com a mãe, de 88 anos, e dois irmãos, ambos na casa dos 50 anos.

Cinco pessoas foram assistidas no local. Os dois irmãos e a mãe do homem desaparecido, vítimas de inalação de fumos, foram transportados ao hospital de Santo António, no Porto. Já tiveram alta e estão alojados temporariamente em casa da irmã do homem desaparecido, em São Roque da Lameira, enquanto esperam por uma solução da Proteção Civil Municipal.

Um casal de vizinhos, que saiu à rua para tentar ajudar, também careceu de assistência. A mulher, que está grávida, foi encaminhada para a Maternidade Júlio Dinis, e o homem para o hospital de Santo António, ambos “por precaução”, segundo Carlos Marques.

O incêndio, cujo alerta foi dado às 4.37 horas, mobilizou 39 elementos, entre Sapadores do Porto, Bombeiros Portuenses, INEM e PSP.