Camisola assinada por Cristiano Ronaldo vai a leilão para ajudar mais desfavorecidos

A camisola autografada pelo futebolista será leiloada entre esta segunda-feira e o dia 6 de Julho, com as receitas a reverterem a favor do Fundo Emergência Abem Covid-19.

Uma camisola da Juventus assinada pelo futebolista português Cristiano Ronaldo vai ser leiloada, a partir de hoje, para ajudar o Fundo Emergência Abem, que se destina a ajudar os que ficaram numa situação mais desfavorecida na sequência da pandemia de covid-19.

A camisola autografada pelo futebolista será leiloada entre esta segunda-feira e o dia 6 de Julho na plataforma digital eSolidar, informou, em comunicado, a Associação Dignitude, promotora da iniciativa. De momento, e com o leilão a decorrer há apenas algumas horas, a última licitação era de 400 euros.

Segundo a associação, que se destina “a dar acesso a medicamentos, produtos e serviços de saúde aos cidadãos que ficaram economicamente mais vulneráveis em consequência da actual pandemia”, “a mais alta [licitação] levará para casa uma camisola assinada pelo melhor jogador de futebol do mundo, ao mesmo tempo que permitirá levar saúde a quem mais precisa”.

O fundo de emergência conta já com a participação de 40 câmaras municipais, de juntas de freguesias, da Cáritas, de Misericórdias e de instituições particulares de solidariedade social (IPSS), responsáveis por referenciar os cidadãos em situação de carência socio-económica, apoiando-os no acesso aos medicamentos de que precisam para viver.

Pedidos de ajuda multiplicam-se

A Dignitude salienta que o número de participantes “duplicou em apenas um mês”, sendo “expectável que se verifique um crescimento exponencial de beneficiários nas próximas semanas, devido ao agravamento decorrente de situações de desemprego e situações de lay-off em empresas”.

Os cidadãos também podem fazer donativos para o fundo emergência, sendo a iniciativa apoiada pela Portugal Inovação Social, através de Fundos da União Europeia.

Criada a 4 de Novembro de 2015, a Associação Dignitude, uma IPSS, tem por missão “o desenvolvimento de programas solidários de grande impacto social, que promovam a qualidade de vida e o bem-estar dos portugueses”.

A Dignitude tem como fundadores António Arnaut, António Ramalho Eanes, Francisco Carvalho Guerra, João Gonçalves da Silveira, João Cordeiro, Maria de Belém Roseira e Odette Santos Ferreira.

O Programa Abem: Rede Solidária do Medicamento tem como objectivo “permitir o acesso, de forma digna, aos medicamentos prescritos a quem não tem capacidade financeira para os adquirir, cobrindo, no receituário, o valor não comparticipado pelo Estado”. A nível nacional, o Programa já apoiou 14.812 beneficiários de 8164 famílias, dos quais 12% são crianças. Desde o seu início, em Maio de 2016, já foram adquiridas, ao abrigo do Abem 569.788 embalagens de medicamentos.

A avaliação de impacto social do projecto, segundo a metodologia Retorno Social do Investimento (SROI, na sigla inglesa), revela que o programa gerou nos dois primeiros anos um retorno social de 6,9 milhões de euros, mostrando que cada euro investido teve um impacto social valorizado em 7,8 euros.