Emigrante português morre em incêndio no Luxemburgo

Um emigrante português, natural de Vieira do Minho, faleceu no sábado, vítima de um incêndio ocorrido no edifício onde residia, em Sanem, no Luxemburgo.

Bruno Mota, de 46 anos, natural da freguesia de Parada do Bouro, na margem esquerda do Rio Cávado, concelho de Vieira do Minho, distrito de Braga, era empresário do setor da restauração, estabelecido no Luxemburgo.

Morreu num incêndio que deflagrou no edifício onde residia, na Rua d’Esch, situada na cidade de Sanem, distrito de Luxemburgo, durante a madrugada de sábado. Foi Bruno Mota quem deu o alerta do sinistro, só que não conseguiu fugir a tempo das chamas.

As chamas foram extintas ao fim de cerca de uma hora e meia, num dos apartamentos, tendo ficado ferido um outro morador daquele edifício, mas que não corre perigo de vida.

As autoridades consulares portuguesas no Luxemburgo estão a organizar as tramitações legais, a fim de, logo após a autópsia, o corpo de Bruno Mota possa ser transladado para Portugal, onde será sepultado do Cemitério Paroquial de Parada do Bouro.