Emigrante portuguesa leva sete anos por abanar bebé até à morte

Leonardo tinha dois anos quando morreu.

Uma portuguesa emigrada em França foi condenada a sete anos de prisão, em Toulouse, após ter sido considerada culpada da morte do filho adotivo, um bebé com apenas dois anos. Leonardo foi abanado de forma violenta durante o banho, a 1 de abril de 2016, morrendo no dia seguinte no hospital. Maria do Céu Guimarães, natural de Modelos, em Paços de Ferreira, acabou detida e acusada.

O Ministério Público pedia 12 anos de prisão, mas o tribunal decidiu-se por sete.

A mulher, hoje com 26 anos, disse em tribunal, lavada em lágrimas, que nunca quis matar Leonardo, que era sobrinho do companheiro e foi adotado por estes alguns meses antes.

Certo é que a criança deu entrada no hospital com hematomas no corpo e com mazelas que indiciam que tenha sido abanada de forma violenta.

Foi a própria mãe adotiva quem deu o alerta às autoridades, mas já não foi possível salvar o bebé, que tinha sido levado para França com 18 meses de idade. Até então tinha sido entregue a uma instituição da Rebordosa pelo próprio pai.

O tio e a agora condenada acabaram por recolher a criança.