Home / Brasil / Jorge Jesus: “Na Europa têm a mania que sabem tudo”

Jorge Jesus: “Na Europa têm a mania que sabem tudo”

Jorge Jesus deixou, esta segunda-feira, novos elogios ao futebol brasileiro e partilhou uma história de Gabigol, jogador que representou o Benfica.

Jorge Jesus foi esta segunda-feira apresentado no Flamengo e, mais uma vez, deixou elogios à nova casa e uma garantia aos adeptos:

“Tenho muita honra em ser convidado para este grande clube. Os treinadores treinam pelo currículo e eu sou o que mais títulos ganhou em Portugal. Eu sou Jorge Jesus e podem designar-me como quiserem. Podem esperar o que eu tenho feito sempre. Tenho apresentado trabalho, revolucionado. É claro que as minhas ideias são diferentes. Mas não venho revolucionar nada. Treinei Sporting e Benfica, cheguei a uma casa que não ganhava e começou a ganhar muitos títulos. É exatamente isso que venho fazer ao Flamengo”, começou por dizer o português que fez ainda uma comparação entre o futebol brasileiro e o europeu.

“Na Europa, a intensidade é maior porque a temperatura assim ajuda. Quando falo na intensidade, é sem bola, porque com bola o futebol brasileiro é muito intenso. São jogadores que executam muito rapidamente e é isso que faz a velocidade do jogo. Sem bola não são tão intensos devido a vários pontos como o trabalho tático, o calor… São situações que conheço, quero uma equipa muito mais intensa sem bola. Quando tem bola, o jogo do campeonato brasileiro é muito alto. Quem não conhece muito o campeonato brasileiro tem uma ideia completamente diferente. É muito competitivo, muito difícil. Às vezes, na Europa também têm a mania que sabem tudo, mas não têm noção do que é a qualidade do jogador brasileiro”, atirou.

Com vários anos de carreira e títulos no currículo, Jorge Jesus já orientou alguns jogadores brasileiros e, durante a apresentação, fez questão de relembrar alguns.

“Lancei jovens que chegaram à seleção, como David Luiz, Ramires, o Luisão que já jogava algumas vezes… Talisca, que hoje todos os clubes na Europa querem. Tivemos muitos jogadores e treinadores brasileiros em Portugal. O Felipão foi acarinhado e foi a uma final de um Europeu. O futebol brasileiro tem muita técnica, os jogadores têm muito talento e chegam por norma à seleção quando vão para a Europa. Vai ser fácil trabalhar com brasileiros. Joguei em grandes equipas e no meu onze ideal era eu, o guarda-redes e o resto dos brasileiros”, afirmou, partilhando uma história relacionada com Gabigol, atualmente no Flamengo e que passou pelo Benfica.

“O Gabigol estava no Inter de Milão, que nos tinha contratado um jogador por 45 milhões, o João Mário. Eram amigos e falou com o João Mário, disse-lhe que queria falar comigo porque queria vir para o Sporting. Falei com ele, mas foi para o Benfica”, contou.