Mulas de droga ganham até dez mil euros por viagem ao Brasil

A maioria dos correios tem entre 20 e 39 anos. Podem trazer vários quilos no corpo e na mala. Em 2018, foram detidas 113 pessoas.

Muitos dos suspeitos de serem correios de droga são sujeitos a um raio X. Por vezes é só após esse exame que admitem o transporte.

Disfarçada no cabelo, no corpo, na mala de viagem, em embalagens de bombons, em garrafas de azeite, no vestuário.

As táticas utilizadas pelos correios de droga são muitas e imaginativas. Já as explicações dadas aos inspetores da Polícia Judiciária acabam por ser mais simples: a maior parte das mulas (como também são conhecidas as pessoas que transportam droga) detidas no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, garantem que a droga não é delas, que compraram a mala em que a transportam e que podia já lá estar escondida.

Versões que acabam por ser “desmontadas” pela PJ, nomeadamente quando no hospital mostram o resultado do exame de raios X a quem tem droga no estômago – neste caso podem ter ingerido entre 800 gramas e um quilo em pequenas bolsas.

No ano passado foram detidas 113 pessoas que tentavam entrar em Portugal com cocaína ou heroína utilizando ligações por via aérea – 104 no primeiro caso, nove no segundo. Quanto às quantidades, a PJ apreendeu 309 e 52 quilos, respetivamente.