“O lugar não é meu, é do Benfica”

No rescaldo da derrota frente ao Santa Clara, o treinador do Benfica disse que a equipa “nada tinha a lamentar” num jogo em que houve duas reviravoltas.

“A forma como sofremos quatro golos. É duas carambolas, uma bola de canto e um penálti quando fizemos a recuperação que fizemos, ficamos muito tristes. Primeira parte equilibrada, criámos oportunidades de golo, sofremos golo contra corrente de jogo. A equipa pelas mexidas e intenção que tinha para a segunda parte entra muito forte no jogo, oferecemos o penálti e esta última bola do golo. O jogo tinha de ser nosso depois da recuperação que fizemos”, começou por dizer Bruno Lage.

O treinador das águias considerou ainda que a falta de público nas bancadas “influenciou” e “disparou” contra a comunicação social quando interrogado sobre a continuidade no comando técnico.

“Falta de público influenciou? Sim, mas depois de três golos não podemos sofrer o quarto. Não podíamos sofrer quatro golos, não podemos andar a lamentar nada. Vocês [jornalistas] estão muito preocupados com o meu lugar. Desde o jogo contra o F. C. Porto. Às vezes não sei quem andam a tentar promover para entrar no meu lugar. Questiono quem vos paga jantares ou viagens. O lugar não é meu, é do Benfica”, acrescentou.

O Santa Clara venceu (4-3), esta terça-feira, o Benfica na 28.ª jornada da Liga. Anderson Carvalho aproveitou um erro de Nuno Tavares e inaugurou o marcador em cima do intervalo.

Na segunda parte, chuva de golos: Rafa fez o empate após assistência de André Almeida mas, logo de seguida, os açorianos voltaram a estar na frente do marcador, graças a Zaidu. Vinícius saltou do banco e bisou em dois minutos, dando vantagem ao Benfica, mas Cryzan, de grande penalidade, voltou a empatar e, já nos descontos, Zé Manuel deu o triunfo ao Santa Clara.