Pais prendiam filha de 14 anos a jaula de cão. Corpo encontrado enterrado

Corpo da menina de 14 anos foi encontrado enterrado junto ao corpo de outro irmão, que estava desaparecido desde 2016.

Mary Crocker, de 14 anos, foi encontrada morta no ano passado, no Estado da Georgia, Estados Unidos. O corpo da jovem foi encontrado junto ao do irmão, na quinta da casa onde viviam com os pais, sendo que os jovens estavam desaparecidos desde 2017 e 2016, respetivamente.

Sabe-se agora que antes de morrer a jovem era presa durante quase 24 horas por dia na jaula de um cão, sem comer, e era alvo de várias agressões físicas.

Estes relatos chocantes foram revelados numa nova audição em tribunal, onde foram postos a descoberto os abusos de que foram alvo os dois irmãos.

O investigador Abby Brown revelou que Mary apresentava as articulações inchadas, como resultado do esforço para estar tanto tempo torcida dentro da jaula. De tal forma, que os pais chegaram a amarrá-la a um escadote para ver se o seu corpo se endireitava.

Um terceiro irmão, de 11 anos, e com paralisia cerebral, relatou ter assistido a agressões à irmã, incluindo uma vez em que lhe bateram com uma frigideira por acharem que ela tinha roubado comida.

O pai, a mãe, a madrasta e o padrasto das crianças, bem como um tio e a avó foram acusados do crime de crueldade infantil. Até ao momento nenhum deles foi acusado de homicídio por não ainda terem sido concluídos os exames aos corpos.