Quem é Conan Osíris?

Conheça Tiago Miranda, o “rapaz de Lisboa” que aprendeu a fazer música “por tentativa e erro”.

O Festival da Canção de 2019 escolheu, este sábado, Conan Osiris para representar Portugal no Festival da Eurovisão em Israel. O nome do músico é Tiago Miranda que durante o Festival da Canção dividiu opiniões entre os jurados com a sua música “Telemóveis”.

O músico de 30 anos que por altura do seu primeiro concerto de sempre – e definiu-se como “um rapaz de Lisboa” que aprendeu a fazer música sozinho, “por tentativa e erro” em casa com o seu computador, enquanto estudava Design Gráfico em Castelo Branco.

“Foi por acidente. Nem sabia bem a diferença entre Artes Plásticas e Design… Acabou por não ser bem a minha cena, mas deixei-me ficar porque curtia o sítio e os amigos.” Foi lá que conheceu Rúben de Sá Osório, então a estudar Moda e que se tornou o seu estilista. “Quer queira quer não, vou acompanhando a moda e descobrindo cenas através dele”, diz Conan, antes de definir o seu estilo pessoal como “a mãe do Kevin [de Sozinho em Casa] a ir para o aeroporto, vestida à pressa”.

O álbum que o lançou para a ribalta, Adoro Bolos, foi escrito em abril de 2017 e produzido entre setembro e dezembro desse ano. Durante esse tempo, Conan Osiris trabalhou numa sex shop – onde esteve durante seis anos – e o tempo para a música ficava nas férias que marcava para ficar em casa a compor, com o seu melhor amigo a ser o gravador do telemóvel. “Oitenta por cento das minhas férias eram para trabalhar. É fodido ser português”

As suas músicas são muitas vezes comparadas a António Variações devido aos versos românticos, mas os ritmos evocam tons de kizomba, eletrónica experimental, música de carrinhos de choque e melodias do Médio Oriente. “Só tenho de respeitar e sentir-me feliz por alguém sentir alguma coisa em relação a mim”, diz.

Nesse primeiro concerto de sempre de Conan, na Galeria Zé dos Bois a 2 de março do ano passado, o mito tornou-se realidade. “Senti que as pessoas [no concerto] estavam a tentar perceber que energia é que eu ia emitir. Quando comecei, à capela, com Borrego [o primeiro tema do álbum], elas ficaram numa de ‘Uau, ele existe mesmo’ e entraram em engrenagem para o resto do show”, contou à SÁBADO um mês depois do concerto, sentado numa pastelaria na Avenida da Liberdade, em Lisboa.

Quando as músicas do Festival da Canção de 2019 foram divulgadas, a 21 de janeiro, Portugal parou e o YouTube também. Surgiu “Telemóveis”, com música e letra compostas por Conan, e uma letra rara em jeito de metáfora: “Eu parti o telemóvel / A tentar ligar para o céu / Para eu saber se mato a saudade / ou quem morre sou eu”.

A canção rapidamente se tornou um hit e atingiu mais de 1,6 milhões de visualizações em menos de um mês. Por comparação, a segunda música da presente edição do Festival da Canção com mais visualizações é a do duo Calema, com apenas 695 mil.

Este sábado, Conan Osiris interpretou a música “Telemóveis” e conquistou Portugal. Vai representar o País em maio, no Festival da Eurovisão.

Veja a entrevista de Conan Osíris no ‘Elefante de Papel’.