Home / Portugal / Santana Lopes com suspeita de traumatismo torácico

Santana Lopes com suspeita de traumatismo torácico

Na viatura seguia também o cabeça de lista da Aliança, Paulo Sande, que poderá ter sofrido um traumatismo craniano. Ambos estão a ser assistidos no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).

Npresidente do partido Aliança, Pedro Santana Lopes, e o cabeça de lista às eleições europeias, Paulo Sande, ficaram hoje feridos num acidente de viação, na A1, entre Soure e Pombal. O alerta foi dado às 17.17, depois de o carro em que seguiam se ter despistado e capotado várias vezes.

Pelas 17:30, Pedro Santana Lopes estava “encarcerado dentro do carro”, enquanto Paulo Sande já tinha conseguido sair da viatura pelo próprio pé.

Ao que o DN soube, o líder do partido foi entretanto retirado da viatura com o auxílio dos bombeiros e transportado de helicóptero para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).

Contactada pelo DN, fonte do INEM explicou que o transporte de helicóptero é um procedimento normal nestas situações. “O CODU [Centro de Orientação de Doentes Urgentes] teve a informação de que havia um acidente grave, com capotamento e duas vítimas encarceradas, tendo acionado de imediato um helicóptero, uma viatura médica e duas ambulâncias”, adiantou.

Quando a equipa médica avaliou as vítimas, “o CODU tomou a decisão médica de manter o helicóptero”, que transportou Santana Lopes, com “suspeita de traumatismo torácico”, cuja “gravidade só será avaliada em ambiente hospitalar, pois o INEM no local não dispõe de meios complementares de diagnóstico.

O outro ferido, adiantou a mesma fonte, foi transportado de ambulância, “com suspeita de traumatismo craniano”. Ambos estavam “estáveis e conscientes”, mas, frisa, “a gravidade dos ferimentos só será conhecida no hospital”.

Fonte do CHUC confirma que Santana Lopes e Paulo Sande se encontram “estáveis” e a fazer exames complementares. “Só depois dos resultados haverá diagnóstico”.

O acidente aconteceu na autoestrada 1 (A1), ao quilómetro 136, na zona de Colmeias, entre Pombal e Soure, quando os dois seguiam de Coimbra para Lisboa, com o antigo primeiro-ministro a conduzir a viatura.

Em declarações à Lusa, Paulo Sande disse que se encontra bem, “apesar do susto”, mas que Santana Lopes foi imobilizado com um colar cervical, por se ter queixado de “dores no peito” e ter ligeiros ferimentos na cabeça.

Fonte da candidatura diz que Santana está a ser “transportado de helicóptero para Coimbra”, mas “parece que não é nada de muito grave”.

O antigo primeiro-ministro “não corre perigo de vida”, assegurou a fonte.

De acordo com Paulo Sande, que também está a ser transportado de ambulância para ser observado no mesmo hospital, Santana Lopes está consciente.

Ao DN, fonte do partido adiantou que o diretor da campanha falou com os dois ocupantes da viatura, que se “encontravam lúcidos”, mas, sublinhou, “não se sabe o nível de gravidade” dos ferimentos do ex-primeiro-ministro.

Paulo Sande explicou ainda que regressava com Santana Lopes de uma iniciativa de campanha em Coimbra e que o líder do partido guiava o carro quando se despistaram e a viatura capotou “várias vezes”.

Segundo o comandante dos Bombeiros Voluntários de Pombal, Paulo Albano, os dois estão livres de perigo.

Ao DN, fonte do Aliança contou que o líder do partido e o candidato às europeias se deslocavam para Cascais, onde Santana ia falar na conferência Eurotalks, às 18h30, Museu Conde Castro Guimarães.

As restantes ações de campanha de hoje, bem como as que estavam agendadas para amanhã “estão obviamente canceladas”, avançou a fonte da candidatura.

Reações nas redes sociais
Na sequência do acidente, várias figuras da política nacional manifestaram-se, desejando as melhoras a Santana Lopes e a Paulo Sande. Foi o caso de André Ventura, cabeça de lista da coligação Basta, que deixou uma mensagem no Twitter.

Rui Tavares, cabeça de lista às eleições europeias pelo partido Livre, também aproveitou a mesma plataforma para lamentar o sucedido, lembrando que “há coisas mais importantes do que a competição eleitoral”.

pub