TAP realiza voos extra para trazer de volta 3500 portugueses

Operação especial conta com 12 voos extraordinários que também transportam carga médica e humanitária.

A TAP vai realizar 12 voos extraordinários para África para trazer passageiros portugueses e transportar carga médica e humanitária.

“Ao longo desta semana, a TAP desenvolveu uma operação especial para permitir o regresso de cerca de 3500 portugueses a Portugal, bem como o transporte de carga médica e humanitária, com a realização de 12 voos extraordinários para Angola, São Tomé, Guiné-Bissau, Cabo Verde e Moçambique”, lê-se no comunicado da companhia aérea portuguesa.

A operação foi planeada com a “estreita colaboração com o Ministério dos Negócios Estrangeiros”, explica a TAP.

A transportadora sublinha que o plano dos 12 voo extraordinários forma viabilizados em “tempo recorde” e serão realizados “garantindo todas as condições de segurança e operacionais”.

Os voos são realizados “entre terça [passada] e domingo [amanhã] – em condições adversas, ultrapassando a título excecional as limitações e restrições impostas pelos vários países, com a colaboração dos mesmos”.

Na terça-feira, dia 24 de março, levantaram os primeiros voos, com destino a Luanda, em Angola, Praia e Sal, em Cabo Verde. A operação prosseguiu na quarta-feira, 25 de março, com um voo para Bissau; na quinta-feira, 26 de março, com um voo para São Tomé, e na sexta-feira com quatro voos: dois de Luanda, um de Bissau e um da Cidade da Praia. Para este sábado, 28 de março, a Companhia terá um voo noturno de Luanda com destino a Lisboa.

“A operação desta semana culmina no domingo com dois voos de ida-e-volta para a capital de Moçambique, operados por um Airbus A330neo, com capacidade para trazer 298 passageiros”.

Por último a TAP “agradece ao Ministério dos Negócios Estrangeiros, às estruturas centrais e locais todo o apoio prestado, bem como aos seus Tripulantes e a todos os restantes colaboradores o sentido de missão e o empenho que permitem viabilizar estas complexas operações, garantindo o regresso dos portugueses a casa neste momento delicado e ultrapassando do melhor modo possível as diversas dificuldades”.